Dia 10 – Marrocos, 12 de novembro

Hoje foi dia de praia por aqui! Fomos a Essaouira, cidade costeira a pouco mais de 150 km de Marrakesh. Definitivamente um destino indispensável em qualquer passagem pelo Marrocos!


A cidade primeiramente era chamada de Mogador pelos portugueses que ali se instalaram no século XVI. Ainda no mesmo século foi tomada pelos marroquinos, e funcionou como uma pequena cidade de porto até o século XVIII, quando o Rei Mohammed ben Abdallah transferiu parte da comunidade judaica do Marrocos para a região, e mudou o seu nome para Essaouira, que significa ‘bem traçada’. Acontece que os muçulmanos não queriam negociar com os cristãos vindos da Europa, e o Rei desejava transformar a cidade em um local de comércio internacional. Não é atoa que em uma de seus portões na zona portuária há os três símbolos das três religiões monoteístas.

Em 1764 foi então construída sua medina, bem diferente do que as das outras cidades do Marrocos. Ela foi projetada por um arquiteto francês, que fez um plano urbanístico para a medina, que tem ruas mais organizadas e largas do que as outras visitadas. Em Essaouira, além da medina, visitamos sua região portuária, onde os pescados são vendidos frescos em pequenas barraquinhas. Passamos também pelas suas muralhas que ainda abrigam os canhões portugueses, todos com data e local de fabricação registrados.

Assim como a bela Sinagoga, frequentada pela sua grande população judaica, e também pela orla da praia, de areia fina e mar agitado, muito frequentada pelos praticantes de windsurf. É que lá o vento é praticamente constante, sendo registrado 300 dias ao ano.
Outra curiosidade é que a cidade também é palco do Festival de Música Gnawa. A música Gnawa é um gênero tradicional do Marrocos, uma prática religiosa que usa da música para exorcizar maus espíritos. Elas são realizadas em cerimônias chamadas de Lilas, que em árabe significa uma noite. O Festival é um encontro entre artistas internacionais de Jazz principalmente, e artistas locais.
Apesar de menos intenso, foi um passeio extremamente agradável, em que pudemos aproveitar o cheiro de maresia e também o ótimo comércio. Lá é possível encontrar peças da cerâmica marroquina, belas echarpes, e também os tradicionais produtos de carpintaria feitos com madeira de Tuya, árvore típica da região. Para esse tipo de produção, é utilizado apenas a raiz dessas árvores ,que possui um cheiro característico muito agradável. Além dos artigos em Essaouira serem muito bonitos, o preço também é muito bom comparado a outros lugares! Mas não esqueça de negociar o seu preço!


No caminho entre Marrakesh e Essaouira, ainda tivemos a oportunidade de conhecer uma cooperativa só de mulheres que trabalham com o argan. Elas produzem cosméticos e produtos culinários, como azeite de argan, mel com argan, pasta de amêndoas também com a especiaria, entre outros produtos maravilhosos. No local, tivemos a oportunidade de conhecer os processos de produção e também adquirir os produtos de alta qualidade!

Se você quiser acompanhar mais desse roteiro maravilhoso assinado pela Beatriz Petek ou desejar mais informações, acesse o Instagram @beaturismo ou entre em contato via whatsapp +55 51 99985-6851.

Até mais, viajantes!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close